Dilma amplia vantagem nas cidades mais dependentes do Bolsa Família

Criado no governo Lula e transformado em uma das principais bandeiras da gestão petista, o Bolsa Família teve mais impacto para ajudar a presidente Dilma Rousseff (PT) a ampliar sua vantagem sobre os adversários nas eleições deste domingo (5) do que no primeiro turno de 2010.
Neste ano, os 150 municípios com maior cobertura do programa federal (famílias atendidas em relação ao total de habitantes) deram à presidente uma votação média de 77,8% dos votos, ou 36,2 pontos percentuais acima da média nacional de 41,6%.
Essa vantagem ficou 7,3 pontos acima da que ela teve na eleição anterior.
No primeiro turno de 2010, a votação de Dilma nos 150 municípios com maior cobertura do programa foi de 75,8% e ficou 28,9 pontos acima da média nacional, de 46,9%.
Entre os 150 municípios com maior cobertura do Bolsa Família neste ano, 64 também estavam no ranking de mais beneficiados em 2010.
Apesar da vantagem de Dilma nesses municípios ser maior neste ano, ela perdeu para a candidata do PSB, Marina Silva, em duas das 150 cidades mais dependentes do programa de distribuição de renda. Em 2010, a petista havia vencido em todos as 150.

Editoria de Arte/Folhapress
Um dos locais onde Dilma perdeu para Marina nesse grupo é a cidade de Porto de Pedras (AL), a 93 km de Maceió. Lá, Marina teve 38,8% dos votos, enquanto Dilma foi a escolhida de 32,6% dos eleitores.
O município do litoral norte de Alagoas tem 8.253 habitantes e 1.670 famílias atendidas pelo programa federal. De acordo com estimativa usada pelo governo federal, 72,9% da população é beneficiada pelo Bolsa Família na cidade alagoana.
A outra cidade desse grupo onde Dilma perdeu para Marina é Sairé (PE), a 109 km do Recife, no agreste de Pernambuco. O Estado foi um dos dois únicos onde Marina foi a presidenciável mais votada neste domingo (5).
Na cidade pernambucana, de 10.633 habitantes, 2.133 famílias recebem o Bolsa Família, que beneficia 72,2% dos moradores. Lá, Marina teve 46,7% dos votos, ante 46,1% de Dilma.
Apesar de a presidente e candidata à reeleição ter destacado na campanha eleitoral outros programas como vitrine de sua gestão –como o Mais Médicos, Minha Casa, Minha Vida e Pronatec–, o Bolsa Família foi tema constante no debate presidencial neste ano.

Dilma foi acusada de insinuar que seus adversários representariam a descontinuidade do programa, enquanto Aécio e Marina prometeram manter e até ampliar o benefício, se eleitos. Aécio chegou a propor que o Bolsa Família seja transformado em lei, enquanto Marina prometeu criar um 13º salário para o programa.
Atualmente, 13,98 milhões de famílias no país são beneficiadas pelo programa federal. Em setembro, os repasses significaram R$ 2,4 bilhões. O Nordeste concentra 50,9% das famílias beneficiárias.
Dos 150 municípios com maior cobertura neste ano, 146 estão no Nordeste, três no Norte e um no Sudeste.

About Alexandre Almeida

0 comentar:

Postar um comentário

obrigado e comente sempre

Tecnologia do Blogger.